Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/02/21 às 17h15 - Atualizado em 23/02/21 às 17h15

Termo de Cooperação Técnica do Plano de Desenvolvimento Rural do DF é assinado no Palácio do Buriti

COMPARTILHAR

A Secretaria de Empreendedorismo participa da elaboração do Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável do DF

 

Nesta segunda-feira (22) foi assinado, no Palácio do Buriti, o Termo de Cooperação Técnica para a implementação do Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável do Distrito Federal. O Plano será coordenado pela Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF), com a participação da Secretaria de Empreendedorismo (Semp-DF) e outras 15 instituições de fomento à agropecuária. O Termo vai orientar as estratégias do setor a longo prazo (20 anos).

O Plano tem por objetivo construir estratégias e ações, com as principais instituições do setor agropecuário local e nacional. Essa união de esforços tratará do plano de trabalho para o planejamento do setor agropecuário do Distrito Federal.

O Secretário da Agricultura do Distrito Federal, Candido Teles de Araújo, ressaltou a importância de todas as instituições estarem caminhando juntas na construção do Plano. “Não adianta construir um projeto sozinho e depois não ter viabilidade na Adasa, não ter viabilidade no Ibram ou em outras instituições. A união dos órgãos governamentais, classe produtiva e instituições técnico-científicas sinaliza a integração de esforços para um planejamento rural prolongado, para um período de 20 anos”, ressaltou.

A ideia é que cada instituição indique dois representantes para participar do grupo de trabalho que irá elaborar as ações do Plano de Desenvolvimento Rural do DF e estabelecer os eixos de desenvolvimento sustentável da agropecuária, oferecendo estruturas e condições para a população local e suas atividades. A próxima reunião está agendada para abril.

Segundo o Secretário de Empreendedorismo, Mauro da Mata, o setor produtivo rural, espera por essas ações a 60 anos. “A falta de regularização e definição de um plano de desenvolvimento para esse setor, deixavam esses produtores às margens dos programas de incentivo. Nosso trabalho agora é ajudar a modernizar as atividades agropecuárias, desenvolver, apoiar e transformar o Pólo Agroindustrial, e com isso gerar mais emprego e renda para o setor. É um longo caminho que se inicia agora, mas com a união e o esforço de todos: governo, indústrias e empreendedores rurais, teremos sucesso”, destaca Mauro da Mata.

 

Participam do Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável do Distrito Federal, as seguintes instituições:
Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri/DF)
Secretaria de Governo (Segov)
Secretaria de meio Ambiente do (Sema)
Secretaria de Empreendedorismo do Distrito Federal (Semp/DF)
Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater/DF)
Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa/DF)
Instituto Brasília Ambiental (Ibram)
Parque Granja do Torto (PGT)
Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape/DF)
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Distrito Federal (Senar/DF)
Superintendência Federal de Agricultura do Distrito Federal (SFA-DF/Mapa)
Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa)
Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)
Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra)
Faculdade de Agronomia e Veterinária da Universidade de Brasília (FAV/UnB)
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cerrados e Embrapa Hortaliças)
Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Distrito Federal (Sescoop/DF)
Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável do Distrito Federal (CDRS/DF)